BlogBlogs.Com.Br

7º Congresso Ibero-americano de editores

segunda-feira, 28 de julho de 2008 · 0 comentários


Mercado editorial Ibero-americano vai debater o livro como fator de desenvolvimento

Representantes do mercado editorial e do setor livreiro estarão reunidos de 11 a 13 de agosto, em São Paulo, para o 7o Congresso Ibero-americano de Editores. O evento terá como objetivo discutir a importância do livro como agente indispensável no processo de desenvolvimento econômico e social dos países ibero-americanos.

O tema central do Congresso, organizado pelo Grupo Ibero-americano de Editores (GIE) em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL), é “O Livro, a Leitura e a Construção da Cidadania”. Estarão presentes editores de todos os países ibero-americanos, responsáveis por políticas do livro e da leitura, escritores, agentes culturais e profissionais do setor livreiro ibero-americano em geral.

O programa do Congresso inclui conferências sobre questões como “Expansão do mercado editorial no século XXI”, “Novas tecnologias e direitos do autor” e “Educação e tecnologia para o crescimento das nações”. Além disso, estão programadas três mesas-redondas, que vão debater os temas “Panorama do Mercado editorial Ibero-americano”...

Veja Mais
Sorry, couldn't find any translation

Livros, do Brasil para o mundo

quinta-feira, 24 de julho de 2008 · 0 comentários

Paula Cunha

Tornar a produção editorial brasileira mais conhecida no exterior e estimular as exportações por intermédio da participação em feiras e eventos internacionais. Para atingir esses objetivos, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) firmou ontem, em São Paulo, um acordo com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O Projeto Setorial Integrado (PSI) do Mercado Editorial pretende gerar negócios no valor de US$ 1,53 bilhão nos próximos dois anos. Até o momento, 28 editoras aderiram.

Serão investidos R$ 2,855 bilhões. A Apex-Brasil entrará com 48,5% desse total, e a CBL, com 51,5%. Para a presidente da Câmara, Rosely Boschini, o acordo visa preparar as empresas para disputar o mercado internacional. As duas entidades formaram equipes para identificar e estudar os principais mercados-alvos. Para o presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira, os países estrangeiros são um espaço inexplorado pelas editoras – apenas 1% da produção é exportada. Na Espanha, a venda externa chega a 20% ( confira a produção no quadro acima ).

De acordo com a Apex, o Brasil exportou 3.303.690 livros em 2006, ante 2.989.765 em 2005. O crescimento foi de 10,5%, mas a entidade acredita haver muito espaço para conquistar. Na opinião de Teixeira, o interesse pelas edições infantis do Brasil é grande, e outros nichos – como a literatura regional – são pouco editados no exterior. "Os empresários precisam entender as necessidades do mercado e descobrir quais títulos terão mais chances de fazer sucesso lá fora."

Para aperfeiçoar a participação brasileira em eventos internacionais, serão confeccionados catálogos explicativos sobre a produção editorial, levando-se em conta o perfil e as características de cada feira. Além de treinar as editoras para negociar no mercado externo, a CBL vai divulgar os primeiros resultados e ações da parceria na Bienal do Livro, que será realizada em São Paulo, de 14 a 24 de agosto, para atrair a atenção das pequenas empresas do setor.

http://www.dcomercio.com.br/noticias_online/1091990.htm

Governo lança iniciativa para difundir livros no exterior

· 0 comentários

3-07-2008 16:51:01

Brasília, 23 jul (Lusa) - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX) e a Câmara Brasileira do Livro (CBL) assinaram nesta quarta-feira um convênio para difundir no mercado internacional os livros produzidos no Brasil.

A estimativa de negócios gerados pelo chamado Projeto Setorial Integrado (PSI) do Mercado Editorial é de aproximadamente US$ 1,5 milhões nos próximos dois anos.

"A nossa proposta é revelar a outras nações as características de um país de economia moderna e de avançada produção científica, contribuindo para ampliar as nossas exportações de forma qualificada e renovando positivamente a imagem do Brasil", salientou o presidente da APEX, Alessandro Teixeira.

Na avaliação de Teixeira, cada livro vendido no exterior é uma forma de fazer o Brasil cada vez mais presente na agenda internacional.

A presidente da Câmara Brasileira do Livro, Rosely Boschini, disse que o acordo será um instrumento de abertura de novas oportunidades para as editoras brasileiras.

"Existe um grande interesse internacional pelo Brasil, principalmente por conta da diversidade cultural e do conteúdo editorial nacional. Além disso, há um enorme potencial de mercado que ainda não foi explorado pelas empresas locais", destacou.

Até o momento, 28 editoras estão inscritas no projeto, cujos custos são divididos entre a APEX (50%), as empresas participantes e a Câmara, que financiam o restante.

O convênio pretende estimular o perfil exportador das editoras, criar condições para que as empresas estejam aptas para a venda de direitos autorais, ampliar o acesso a compradores estrangeiros e consolidar a presença do mercado editorial brasileiro no exterior.

"O incentivo à venda de direitos de autor brasileiros não é apenas uma complementação ao crescimento da indústria nacional do livro, como também uma necessidade de expansão e consolidação da marca Brasil", explicou o gestor do projeto na Agência, Christiano Braga.

Já está em elaboração um estudo pela Unidade de Inteligência Comercial da Agência, a ser terminado até o final deste mês, para a identificação e avaliação dos principais mercados-alvos na compra e venda de direitos autorais.

Além disso, haverá um site na internet sobre o projeto, em inglês e espanhol, e um software de gestão internacional de produtos e de contatos para as empresas que participam da iniciativa.

O projeto prevê ainda um serviço de consultoria para capacitar as empresas com as melhores práticas de editoras internacionais na compra e venda de direitos de autor.

Outra estratégia é a participação das editoras brasileiras em feiras internacionais e a deslocação de empresários estrangeiros para conhecer o mercado brasileiro.

A iniciativa do governo brasileiro, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro, ocorre dois dias antes da 7ª cúpula da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, que terá como tema principal a promoção e a difusão da língua portuguesa.

25 grandes idéias

quinta-feira, 3 de julho de 2008 · 0 comentários

Como a ciência está transformando nosso mundo
Robert Matthews
Editora: JORGE ZAHAR
R$ 44,00


SINOPSE

Algumas idéias científicas merecem destaque, pelo poder de transformar a forma de pensar e viver das pessoas ou por revelarem que o Universo é bem mais complexo do que podíamos imaginar. Robert Matthews analisa neste livro 25 delas, da teoria dos jogos à energia escura, passando pela inteligência artificial, o gene egoísta e o big-bang. Ao mesmo tempo em que descreve como cada uma foi desenvolvida, mostra que elas estão mudando nosso dia-a-dia. Mais do que levar os leitores às fronteiras do conhecimento científico, lança luz sobre a forma como a ciência funciona, ao mostrar o percurso das descobertas mais importantes.

Inclui ainda:

. Em cada capítulo: sugestões de leitura, linha do tempo e glossário com termos técnicos.

. Boxes com curiosidades.

. Algumas das principais idéias tratadas no livro: Big-bang . Consciência . Emaranhamento quântico . Energia escura . Epidemiologia . Gene egoísta . Grãos geneticamente modificados . Inteligência artificial . Teoria da informação . Universos paralelos . entre outras.

Blogs parceiros

Denuncie crime na Internet

Disque 100

Disque 100
Denuncie a violência contra a criança

Meia Amazonia não